Terça, 12 Novembro 2013 09:29

Mesmo com período de chuvas, Bebedouro não confirma novos casos de Dengue

Escrito por  Assessoria Prefeitura
A Vigilância Epidemiológica e o Controle de Vetores e Zoonoses descartam 563 casos de suspeita da doença.
 
Até agora, Bebedouro registrou 907 casos de dengue, de acordo com dados fornecidos pela Vigilância Epidemiológica, e o Controle de Vetores e Zoonoses da cidade.
 
De qualquer forma, continua o alerta à população para que tomem medidas para evitar a proliferação do mosquito Aedes Aegypti, transmissor da doença.
 
Entre as precauções estão eliminação ou cobertura de locais que possam acumular água, como caixas d'água e pneus, já que o mosquito se reproduz em ambientes com água parada.
 
Os casos confirmados estabilizaram-se desde o mês passado, no entanto, os casos suspeitos tiveram um aumento de 8 registros, de acordo com o último relatório expedido pela Vigilância. Os casos descartados também tiveram aumento de 4 registros.
 
As estatísticas demonstram que entre crianças de 5 e 14 anos, a maior incidência de casos é do sexo masculino, e entre adolescentes e adultos, as mulheres lideram a lista de contaminações pela doença.
 
Além de continuar no combate, a população deve ficar atenta aos possíveis sintomas da doença. As crianças são motivo de preocupação, porque além de fazerem parte do grupo de risco juntamente com doentes crônicos, idosos e gestantes, nelas os sintomas podem ser facilmente confundidos com os sinais de gripe ou de viroses comuns. O que se torna arriscado, pois a dificuldade de chegar ao diagnóstico correto pode levar à demora do tratamento.
 
A dengue não passa de pessoa para pessoa e para se infectar com o vírus, a criança precisa ser picada pelo mosquito hospedeiro da doença. Não existe tratamento específico para a dengue, mas tomar bastante líquido é o mais recomendado pelos especialistas.
 
Informações:
 
Manual de Tratamento – Com o aumento de casos de dengue entre crianças e jovens com até 15 anos, nos últimos anos, o Ministério da Saúde elaborou um manual específico para orientar os profissionais quanto ao tratamento da doença desse público alvo. O guia alerta os profissionais para que redobrem a atenção quanto aos sintomas da dengue em crianças.