Sexta, 08 Novembro 2013 11:47

Consumidor brasileiro mais otimista

Escrito por  Assessoria ACSP

O consumidor brasileiro está mais otimista. É o que revela o mais recente Índice Nacional de Confiança da Associação Comercial de São Paulo (INC ACSP/Ipsos), com dados de outubro. O INC aumentou sete pontos em relação a setembro: de 135 pontos passou para 142 em outubro.

“A recuperação do otimismo em outubro sobre setembro, apesar de ainda estar abaixo em comparação com 2012, é um sinal positivo em relação ao desempenho do varejo no último trimestre do ano”, afirma Rogério Amato, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp).

Este aumento do otimismo em outubro tem caráter sazonal: perto do Natal, os indicadores costumam subir, em razão da injeção do 13º salário na economia e da intenção de compras. Mesmo assim, o INC está abaixo do registrado no ano passado: em outubro de 2012, o índice marcou 166 pontos.

O INC varia entre 0 e 200 pontos, sendo que 200 representa o otimismo máximo. Entre 100 e 200, está a região do otimismo; abaixo disso, o cenário é de pessimismo.

O Índice mede a confiança e a segurança do brasileiro quanto à sua situação financeira ao longo do tempo. Também indica a percepção da população em relação ao estado da economia e prevê o comportamento do consumidor.

Para elaborar este INC, foram realizadas mil entrevistas com consumidores entre os dias 21 e 31 de outubro. Os cálculos foram feitos por meio de uma amostra probabilística com cota, representativa do eleitorado a respeito de sexo, idade, educação, PEA (População Economicamente Ativa) e região (PNAD e TSE). Para a pesquisa, foram selecionadas 70 cidades, o que inclui nove regiões metropolitanas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais.

Regiões

O INC da região Sudeste aumentou 6 pontos: marcou 143 pontos em outubro ante 136 em setembro, em razão do período bom para o plantio, decorrente do período de chuvas.

Na região Nordeste, a confiança ficou estável, com 130 pontos em outubro contra 131 em setembro.  

Para o grupo formado pelas regiões Norte e Centro Oeste, o INC foi de 157 pontos, ante 163 em setembro.  

No Sul, o desempenho do agronegócio contribuiu para o aumento do INC, que saltou de 130 pontos em setembro para 157 em outubro.

Nas capitais, o INC cresceu 9 pontos: foi de 148 pontos em outubro - e em setembro eram 139. Este cenário se deve à proximidade das compras de Natal. Outro fator é que algumas das capitais têm forte ligação com o agronegócio, que está em alta.

No interior, o efeito safra também fez o INC crescer: foram 144 pontos em outubro contra 136 em setembro.

Nas regiões metropolitanas, a situação ficou estável, com 124 pontos em outubro contra 125 em setembro.

Situação financeira  

Dos entrevistados em outubro, 46% declaram que sua atual situação financeira era boa. Em setembro eram 44% e em outubro de 2012 eram 50%.

Metade dos consumidores ouvidos em outubro acreditavam que sua situação financeira futura iria melhorar, contra 49% em setembro e 58% em outubro de 2012.

Emprego

Em outubro, 39% afirmaram que se sentiam seguros no emprego; em setembro, eram 36%, em há um ano eram 46%.

O número médio de pessoas conhecidas do entrevistado que perderam o emprego em outubro era de 3,5 contra 4 pessoas em setembro e 3,2 em outubro de 2012. 

Compras

Os consumidores brasileiros favoráveis à compra de eletrodomésticos somavam 42% em outubro. No mês anterior, foi registrado o mesmo percentual e, em outubro de 2012, 48% estavam favoráveis.  

Dos entrevistados em outubro, 40% estavam menos à vontade para adquirir bens de grande valor, como casas e carros; 29% estavam mais à vontade. Isso sinaliza que o consumidor está cauteloso quanto a empréstimos mais longos.

A última vez em 2013 em que os mais à vontade eram maioria foi no mês de maio, quando 37% estavam à vontade e 32% estavam menos à vontade. 

Classes

A classe C continua a mais otimista, com 140 pontos. A classe AB tem 125 pontos e, a classe DE, 126.